Início religião As dez últimas noites do Ramadan

As dez últimas noites do Ramadan

21
0

Nós estamos entrado agora nas últimas 10 dias do Ramadan e devemos estar todos focados em procurar pela Laylat Al-Qadr (Noite do Poder). A Laylat Al-Qadr é descrita no Alcorão como:

“A Noite do Decreto é melhor do que mil meses.” (Alcorão 97:3)

Isto é, adorar a Deus nessa noite é melhor que adorá-Lo por mil meses (83 anos e 4 meses). Qualquer ação feita nesta noite, como recitar o Alcorão, lembrar de Deus (dhikr), etc., é melhor que fazê-la por mil meses. Embora tenhamos aumentado a nossa adoração a Deus neste mês em geral, agora estamos a entrar nos dias finais e é imperativo que o nosso nível de adoração esteja no máximo dos máximos.

‘A’isha (رضي الله عنها) relatou: “Quando os dez últimos dias (do Ramaḍān) chegavam, o Profeta (ﷺ) gastava sua noite em adoração, acordava sua família (à noite), se esforçava e apertava seu Izār (roupa que envolve da cintura para baixo).” (Al-Bukhari 4/269 e Muslim 1174)

Como ‘A’isha (رضي الله عنها) relatou: “O Mensageiro de Deus ﷺ costumava esforçar-se mais na adoração durante os últimos dez dias do que em qualquer outra noite.” (Ahmad e Muslim, algumas narrações no Bukhari são semelhantes)

‘A’isha (رضي الله عنها) descreveu o nosso Profeta ﷺ e modelo a ser seguido com quatro atributos:

1-  Ele (ﷺ) “gastava sua noite em adoração“, significando que ele não dormiria durante a noite. Portanto, ele (ﷺ) permanecia acordado ao longo da noite em adoração e dava ânimo à sua alma através de gastar sua noite sem dormir. Isso é já que o sono é o irmão da morte. O significado de “gastava sua noite” é que ele (ﷺ) gastava a noite inteira em estado de qiyam (em pé, na oração noturna) e fazendo atos de adoração que são feitas pela causa de Deus, Senhor de tudo o que existe. Nós devemos lembrar que os dez últimos dias do Ramaḍan são fixados e numerados. Quanto ao que foi relatado em relação à proibição de gastar a noite inteira em oração, que foi mencionado no ḥadith de ‘Abdullah bin ‘Amr (رضي الله عنه), então isso é no que se refere a alguém que faz isso constantemente, ao longo de todas as noites do ano.

2- Ele (ﷺ) “acordava sua família”, significando as puras esposas dele (ﷺ) as Mães dos Crentes, para que elas pudessem tomar parte no lucro do bem, no dhikr (lembrança) e nos atos de adoração durante esses tempos abençoados.

3- Ele (ﷺ) “se esforçava“, significando que ele (ﷺ) perseverava e se esforçava na adoração, adicionando mais às suas ações do que ele (ﷺ) tinha feito nos primeiros vinte dias (do Ramaḍan). Ele (ﷺ) somente fazia isso porque a Noite de Al-Qadr ocorria durante esses (dez últimos) dias.

4- Ele (ﷺ) “apertava seu Izār (roupa que envolve da cintura para baixo)“, significando que ele (ﷺ) se empenhava e se esforçava intensamente na adoração. Também é dito que isso significa que ele (ﷺ) iria se retirar das mulheres. Isso parece ser mais correto, já que isso se inclina com o que foi mencionado anteriormente e com o ḥadith de Anas (رضي الله عنه): “Ele (ﷺ) iria enrolar sua cama e se retirar das mulheres (i.e. suas esposas).” [Vide Lata’if Al-Ma’arif, pág. 219]

Por isso, aqui estão alguns conselhos para os meus irmãos e irmãs tirarem o máximo destas 10 noites:

– Concentrem-se mais na oração e adoração.
– Tentem persuadir outros membros da vossa família a estarem acordados em oração e adoração.
– I’tikaf (isolamento retiro): Era costume do Profeta ﷺ passar os últimos dez dias do Ramadan na mesquita para aumentar a sua adoração e concentração.
– Façam longos, sinceros e profundos du’as (súplicas), especialmente este: ‘A’isha (رضي الله عنها) disse: Eu perguntei ao Mensageiro de Deus ﷺ: “Ó Mensageiro de Deus , se eu souber que noite é a noite de Qadr, o que é que devo dizer nesta?”. Ele disse: “Diz ‘Ó Deus, Tu perdoas e gostas de perdoar, por isso perdoa-me.” (Ahmad, Ibn Majah e At-Tirmidhi)

Transliteração do du’a: “Allahuma innaka ‘afuwwun tuhibbul ‘afwa fa’fu ‘anni”

Façam com que os vossos pecados sejam apagados:

Abu Huraira (رضي الله عنه) narrou que o Mensageiro ﷺ disse: “Quem estiver (a orar) na Laylat Al-Qadr enquanto nutre a sua fé com auto-avaliação, esperando a recompensa de Deus, terá todos os seus pecados perdoados.” (Bukhari e Muslim)

Sejam generosos:

An-Nawawi disse: “A generosidade é muito encorajada no Ramadan, especialmente durante as últimas dez noites. Ao fazer isso, imitamos o exemplo do Mensageiro de Deus ﷺ tal como o exemplo das gerações piedosas…”

As últimas dez noites do Ramadan começam da noite anterior ao vigésimo primeiro dia, se o mês é de trinta dias ou de vinte e nove dias.

Isto é indicado pelo relato narrado por al-Bukhari (813) e Muslim (1167) de Abu Sa’id al-Khudri (رضي الله عنه) que disse: “O Mensageiro de Deus ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele) observou i’tikaaf durante os primeiros dez dias do Ramadan, e observamos i’tikaaf com ele. Então, Jibril aproximou-se dele e disse: “O que tu estás procurando está à tua frente.” Então ele observou i’tikaaf durante os dez dias do meio (do mês), e nós observamos i’tikaaf com ele. Então Jibril aproximou-se dele e disse: “O que tu estás procurando está à tua frente.” Então, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele) se levantou e se dirigiu a nós na manhã do dia 20 do Ramadan e disse: “Quem quer que tenha observado o i’tikaaf com o Profeta ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele), que volte, pois, foi-me indicada a Lailat al-Qadr, então, fui obrigado a esquecê-la. Na verdade, é nas últimas dez noites, numa noite ímpar, e vi-me prostrado na lama e na água.” O telhado da mesquita era feito de folhas de palmeira, e não víamos nada no céu, mas, então, uma nuvem veio a chuva caiu, e o Profeta ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele) nos liderou em oração até que eu vi os traços de lama e água na testa e na ponta do nariz do Mensageiro de Deus ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele ), em cumprimento de seu sonho.”

De acordo com um relato narrado por al-Bukhari (2027), o Mensageiro de Deus ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele) costumava observar i’tikaaf durante os dez dias do meio do Ramadan. Um ano ele observou I’tikaaf até a noite do dia vinte e um, que era a noite cuja manhã seguinte ele saía de seu i’tikaaf, ele disse: “Quem estava observando i’tikaaf comigo, que observe i’tikaaf durante as últimas dez noites, pois foi-me mostrada esta noite, então fui forçado a esquecê-la, e vi-me prostrando na água e lama na manhã seguinte. Portanto, busquem-na nas últimas dez noites e procurem-na em todas as noites ímpares.” Choveu naquela noite, e a mesquita estava coberta de folhas de palmeira, então a mesquita alagou, e eu vi com meus próprios olhos o Mensageiro De Deus ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele) com traços de água e lama na testa, na manhã do dia vinte e um.” (Fim da citação de Fath al-Baari: 4/257)

De acordo com um relato narrado por al-Bukhari (2018) e também Muslim (1167), é dito: “O Mensageiro de Deus ﷺ (que a paz e as bênçãos de Deus estejam sobre ele) costumava ficar na mesquita (para i’tikaaf) no Ramadan , nos dez dias do meio do mês, então, no final da tarde do vigésimo dia, antes do vigésimo primeiro, ele voltaria para sua casa, e os que tinham ficado na mesquita com ele também voltavam para casa.”

Isso indica que os últimos dez dias começam na noite anterior à vigésima primeira. Daí a opinião da maioria dos sábios – incluindo os quatro imams – é que quem quiser observar i’tikaaf durante as últimas dez noites do Ramadan deve entrar na mesquita antes do pôr do sol na noite anterior à vigésima primeira.

As noites ímpares das últimas dez são as noites anteriores ao vigésimo primeiro, vigésimo terceiro, vigésimo quinto, vigésimo sétimo e vigésimo nono (dias). A noite anterior ao décimo nono não está incluída entre as noites ímpares dos últimos dez, independentemente do mês ser completo ou incompleto (ou seja, trinta ou vinte e nove dias), porque é uma das dez do meio.

Al-Haafiz Ibn Hajar disse: “Lailat al-Qadr só pode estar no Ramadan, portanto nas últimas dez noites, então nas noites ímpares dessas dez, não em nenhuma noite específica entre eles. Isto é o que é indicado por todos os relatos que foram narrados a respeito disso.” (Fim da citação de Fath al-Baari: 4/260)