Início Ramadan A Excelência do Jejum

A Excelência do Jejum

42
0

Há inúmeras tradições concernentes às virtudes e os méritos que a pessoa obtêm de Deus com o jejum durante o mês de Ramadan. Durante esse mês as portas da graça, do perdão e da bondade são especialmente abertas e as portas da punição são fechadas. Portanto, quem deseja obter essas graças terá apenas de jejuar durante esse mês. Deus diz: “O jejum é para Mim e eu recompenso por ele.” 

O Profeta ﷺ disse: “A fragrância da boca do jejuador é mais agradável para Deus do que o cheiro do almíscar.” 

Segredos do Jejum 

Há três classes de jejum:

1) Jejum dos muçulmanos em geral: É a auto restrição da comida, da bebida e das relações sexuais. Esse é o mais baixo tipo de jejum.
2) O jejum especial: Nessa espécie de jejum, além do que foi citado acima, a pessoa se restringe dos pecados das mãos, dos pés, da visão, da audição e dos outros órgãos do corpo.
3) O jejum extra especial: Essas pessoas praticam o jejum da mente. Em outras palavras, eles não pensam em nada além de Deus e na outra vida. Eles pensam no mundo como a visão no próximo, uma vez que é o campo de cultivo do futuro. Um certo sábio disse: “Um pecado é anotado para aquele cujos esforços durante o dia são feitos apenas para preparar os alimentos para se quebrar o jejum.”

Esse jejum extra especial é praticado pelos profetas e pelos próximos de Deus. Além de ser um auto-sacrifício, os pensamentos das pessoas que o praticam estão totalmente dirigidos a Deus. Esse é o significado do versículo: “Dize-lhes: Deus! e deixa-os entregues a suas cismas.” 

O jejum especial se baseia em seis deveres que visam a obtenção da perfeição.

1) Restringir a vista de ver o mal e as coisas que desviam a atenção da recordação de Deus. O Profeta ﷺ disse: “O olhar é uma lança venenosa das lanças de Satanás. Se o homem se restringir dele, Deus lhe dará tal tipo de fé, cujo sabor sentirá no coração.” 

O Profeta ﷺ também disse: “Cinco coisas destroem o jejum: a mentira, a calúnia, a difamação, o perjúrio, e a paixão sexual.” 

2) Restringir a língua de conversas vãs, da mentira, da difamação, da calúnia, do falso testemunho, da obscenidade, da hipocrisia, da inimizade, adotar o silêncio, guardar a língua ocupada com a lembrança de Allah e a recitação do Alcorão. O sábio Sufian Sauri disse: “A difamação anula o jejum.” Lais, narrou, baseado em Mujáhid: “Duas coisas anulam o jejum, a difamação e a mentira.” O Profeta ﷺ disse: “O jejum é como um escudo. Se o homem estiver jejuando, que não censure nem dispute com ninguém. Se alguém provocá-lo, que diga: estou em jejum!” 

3) Restringir a audição de ouvir conversas maldosas, porque o que é ilícito dizer, também é ilícito ouvir. Por essa razão, Deus, colocou aquele que se alimenta de coisas ilícitas e quem ouve coisas ilícitas no mesmo nível. Deus disse: “Os que escutam a mentira, ávidos em devorar o que é ilícito.” {Alcorão Sagrado 5:42}

E disse: “… os doutos não lhes proibiram blasfemarem e se fartarem do que é ilícito?” {Alcorão Sagrado 5:63}

Permanecer em silêncio quando da difamação de alguém é ilícito. Deus disse: “…sereis seus cúmplices.” {Alcorão Sagrado 4:140}

O Profeta ﷺ disse: “O difamador e quem ouve a difamação são iguais e dividem o pecado.” 

4) Restringir as mãos, os pés e os outros órgãos do corpo dos pecados, das más ações e salvar o estomago das coisas duvidosas na hora de se quebrar o jejum. porque não há lógica em se restringir das coisas lícitas com o jejum e se quebrar o jejum com coisas ilícitas. Parece-se com quem destrói uma cidade para construir um prédio. Aquele que jejua e faz coisas ilícitas parece-se com o paciente que se restringe de comer frutas por causa da doença mas ingere veneno. O pecado é como ingerir veneno. Aquele que ingeri-lo é tolo. As coisas ilícitas são como o veneno e destroem a religião, e as coisas lícitas são como o remédio. Pouco dele beneficia e muito dele prejudica. O Profeta ﷺ disse: “Há muitos jejuadores que não ganham com o jejum mais do que a fome e a sede.” Ao ser-lhe perguntado o motivo, ele disse: “Eles se restringem de comer coisas lícitas e quebram o seu jejum comendo carne humana, com a difamação. Isso é ilícito.” 

5) Comer tanto, mesmo sendo alimento lícito, na hora da quebra do jejum, que enche demasiadamente o seu estômago. Um estômago cheio, mesmo com alimento lícito, é muito maléfico. O jejuador come tudo que ele se restringiu de comer durante o dia inteiro. Prepara vários tipos de comida. O objetivo do jejum é deixar o estômago vazio para se controlar as paixões e aumentar o temor a Deus. Se o estômago permanecer cheio, da manhã até a noite, as paixões sexuais, a cobiça e a tentação surgem com maior intensidade.

6) Guardar a mente do jejuador entre o temor e a esperança, porque ele não sabe se o seu jejum será aceito ou não, se estará próximo de Allah ou não. Esse deveria ser o caso de todo ato de adoração. Uma vez Hassan Al Basri estava passando por um grupo de homens que estavam rindo muito. Ele disse: “Deus fez deste mês de Ramadan um mês de disputa pelas boas obras.”

O objetivo do jejum é estar em harmonia com um dos atributos divinos. Esse atributo é o absolutismo, e significa estar privado da fome e da sede, e ser semelhante aos anjos tanto quanto possível, estando livre das paixões. O grau do homem é bem superior aos dos animais inferiores, uma vez que ele pode controlar suas paixões por meio de seu intelecto, mas esse grau desaparece uma vez que sua paixão é forte e ele é tentado por ela. Os anjos estão próximos de Deus. Essa proximidade está em conexão com o atributo mas não com o espaço.

O Profeta ﷺ disse: “O jejum é uma confiança. Que cada um guarde essa confiança.” Quando ele recitou o seguinte versículo: “Deus manda restituir a seu dono o que vos está confiado” {Alcorão Sagrado 4:58}, ele colocou suas mãos sobre as orelhas e os olhos, e disse: “A audição é confiança e a vista é confiança.” Se o jejum não fosse uma confiança, o Profeta ﷺ não teria dito: “Estou jejuando. Em outras palavras, conservo minha língua como confiança para salvá-la. Como posso abandoná-la para contestá-lo?”

Assim, parece que cada coisa tem os seus segredos e suas coisas manifestas. Depende de você observar tanto o secreto como o manifesto ou observar ambos.

Dicas do Profeta ﷺQuanto a Como Tornarmos Verdadeiro o Jejum
Condições Para o Verdadeiro Jejum 

O Profeta ﷺ apontou, de várias maneiras, o verdadeiro espírito do jejum, e explicou que ficarmos com fome e com sede, ignorando o espírito da coisa, não tem valor algum aos olhos de Deus.

O Nos Abstermos da Falsidade 

Uma vez ele ﷺ disse: “Se o indivíduo não deixar de falar coisas falsas e não deixar de agir segundo elas, Deus não quererá que ele deixe de comer e de beber.” (Bukhari)

Numa outra ocasião ele ﷺ disse: “Muitas são as pessoas que jejuam, mas que nada ganham com isso além de fome e sede; e muitos são os que ficam acordados orando toda a noite e nada ganham com isso a não ser atraso de sono.” (Darimi)

As lições são claras e inequívocas: o ficarmos com fome e com sede não é, em si, adoração, mas um meio para realizarmos a verdadeira adoração. A verdadeira adoração significa desistirmos de violar a lei de Deus, por temor e amor a Ele, buscando perpetrar atividades que O agradem, e refreando-nos quanto à indiscriminada atividade dos desejos materiais. Se não fizermos isso, estaremos simplesmente causando uma inconveniência desnecessária aos nossos estômagos.

Fé e Auto-Escrutínio 

O Profeta ﷺ chama a atenção para uma outra meta do jejum: “Todo aquele que observar o jejum, acreditando nele e dando importância a ele, terá perdoados os seus pecados passados.” (Bukhari e Muslim)

Acreditar significa que a fé em Deus deverá permanecer viva na consciência do muçulmano. Darmos importância significa que deveremos buscar apenas o aprazimento de Deus, vigiando constantemente os nossos pensamentos e as nossas ações, para nos certificarmos de que nada estaremos fazendo que seja contrário ao Seu aprazimento. A observância desses dois princípios irá proporcionar a rica recompensa de os nossos pecados passados serem perdoados. A razão é óbvia: mesmo que outrora tivéssemos sido desobedientes, teremos voltado, plenamente arrependidos, para o nosso Senhor; e “Um penitente será como um que, por assim dizer, jamais cometeu o pecado”, como disse o Profeta ﷺ. (Ibn Mája)

Um Muralha Contra os Pecados 

Em outra ocasião o Profeta ﷺ disse: “O jejum é como um escudo (para a proteção dos ataques de Satanás).” Assim sendo, quando alguma pessoa observa o jejum, deve usá-lo (esse escudo), e se abster de discutir. Se alguém com ela discutir, deverá simplesmente dizer: “Irmão, eu estou jejuando; e não esperes que eu me envolva em semelhante procedimento.” (Bukhari e Muslim)

A Fome Pela Bondade 

O Profeta ﷺ uma vez deu orientação no sentido de que o homem, enquanto jejuando, deverá desempenhar mais trabalho do que o usual, e desejar ardentemente realizar atos de bondade. Compaixão e solidariedade para com seus irmãos deverão intensificar-se em seu coração, porque, estando ele no paroxismo da fome e da sede, estará mais capacitado a se conscientizar da miséria dos outros servos de Deus que são destituídos.

No mês de Ramadan, aquele que providenciar comida para que outro quebre o jejum, terá os seus pecados perdoados, o livramento do Fogo, bem como a recompensa de um que esteja jejuando, sem qualquer redução da recompensa deste. (Baihaqui)

Abdullah Ibn Abbas conta que o Profeta ﷺ costumava tornar-se extraordinariamente bondoso e generoso durante o mês de Ramadan. Nenhum pedinte, naquele período, saía da sua porta com as mãos vazias; e tantos escravos quanto fosse possível eram libertados. (Baihaqi)

Como conseguir o melhor com o Jejuar?

A força espiritual não poderá ser obtida com o jejuar, se a pessoa que guarda o jejum não estiver cônscia do propósito dele, e não permitir que ele lhe impregne o coração e a mente e que lhe domine os pensamentos, os feitos e a motivação. Eis porque Deus, após ordenar o jejum, disse que ele seria obrigatório a nós, “Para que estejamos conscientes de Deus”.

Notemos que não há garantia de que estejamos cônscios de Deus e de que sejamos corretos. Apenas alguém que reconheça o propósito do jejuar e porfie por alcançá-lo, receberá as suas bênçãos; alguém que não o faça não poderá esperar ganhar nada com isso.

Os Pontos Positivos do Jejum

O Jejuar islâmico envolve a abstinência de três necessidades materiais primárias dos seres humanos comida, bebida e relação sexual, desde a madrugada (aproximadamente de uma a uma hora e meia antes do nascer do sol), até ao pôr-do-sol, durante todo o mês de Ramadan.

Metodologia do Jejuar 

Ao se guardar o jejum, a intenção, por trás do jejuar, é primeiramente essencial (wajib). Há uma saída para alguém que se esquece de proclamar a intenção antes da madrugada. Nesse caso, é permitido à pessoa expressar a intenção de jejuar antes do meio-dia, para evitar o invalidamento do jejum. O palavreado da niyyah (intenção) é como se segue: “Pretendo guardar o jejum hoje.”

Suhur 

Suhur é uma refeição leve que se faz antes da madrugada, recomendada para ser feita antes do virtual jejum. A suhur é uma bênção e, por isso recomendada, mas não essencial. Qualquer consumo de comida ou de bebida deverá cessar pelo menos de cinco a dez minutos antes do raiar da madrugada.

Iftár 

Iftar significa a quebra do jejum imediatamente após o pôr-do-sol. Iftar é um lanche leve que deverá consistir de tâmaras ou de sobremesa, juntamente com líquidos, como água, suco ou leite. Esses são consumidos após se fazer a seguinte dua(súplica) para a quebra do jejum: “Ó Deus, eu jejuei para o Teu bem, e estou quebrando o jejum do sustento que com o qual me abençoaste; aceita isso de mim!”

O Que Quebra o Jejum 

1) O consumo intencional de comida, bebida, medicamento, ou tabaco, durante o jejum.
2) Qualquer tipo de injeção que tenha algum valor nutritivo.
3) A relação sexual durante as horas do jejum. As invectivas acima mencionadas irão invalidar o jejum e irão requerer a qada’ (reposição do dia ou dos dias faltosos), além da penalidade adicional (kaffára). Alguns juristas, contudo, asseguram que, para o primeiro e segundo pontos acima, somente a qada’ é requerida.
4) Se a menstruação começar, durante o jejum, esse jejum precisará ser repetido.

O Que Não Quebra o Jejum 

1) O comer ou beber por engano, estando desatento quanto ao jejum.
2) O vomitar intencionalmente.
3) O engolir ou inalar coisas que não seja possível se evitar, como a saliva, poeira da rua, fumaça etc..
4) O escovar os dentes.
5) O tomar injeção (intra-muscular ou venosa) que seja unicamente medicinal e não nutritiva.

Kaffára (reposição) 

Durante o período do jejum, se alguém o quebrar deliberadamente, deverá jejuar por sessenta dias consecutivos, ou alimentar sessenta pessoas necessitadas, ou gastar em caridade a quantia equivalente à alimentação de sessenta pessoas. Se alguém escolher jejuar sessenta dias, e a continuidade for interrompida por qualquer razão (a não ser por menstruação, no caso da mulher), irá ter de começar o ciclo de sessenta dias, tudo de novo.

A quebra do jejum Sob Condições Excepcionais 

Para os muçulmanos será permitido quebrarem o jejum de Ramadan imposto quando ele acarretar perigo para a sua saúde. Nessa situação, o muçulmano deverá refazer mais adiante o seu jejum. O(s) jejum(uns) poderá(ão) ser reposto(os) em qualquer outro tempo do ano, quer seja contínua ou intermitentemente, menos durante o dia da eid (festividade)

Quem Estará Isento do Jejuar? 

1. As criança abaixo da idade da puberdade e da descrição.
2. Os doentes mentais que sejam irresponsáveis pelos seus atos.
3. Os indivíduos (homens e mulheres) que sejam muito velhos e fracos para arcar com a obrigação do jejum e suportar as suas asperezas. Essas pessoas estarão isentas desse dever, mas deverão oferecer, pelo menos, a um pobre necessitado, a média de uma refeição completa por dia, para cada pessoa.
4. As pessoas doentes cujas saúdes estejam sujeitas a ser severamente afetadas pela observância do jejum; poderão adiar os dias de jejum, e depois repô-los, dia por dia.
5. Pessoas na expectativa de dias de dureza. Essas pessoas poderão quebrar temporariamente o jejum durante suas viagens para compensarem dias depois, dia por dia. Porém, será melhor para elas, diz o Alcorão, conservarem o jejum se puderem fazê-lo sem o acúmulo de durezas extras.
6. As mulheres que esperam neném e as que estejam amamentando seu bebê poderão também quebrar o seu jejum. Mas deverão repor os dias adiados, dia por dia.
7. Durante o período após-parto, a parturiente estará isenta do jejum.
8. As mulheres nos períodos de menstruação (um máximo de dez dias) poderão adiar o jejum, até ao fim do período, e depois compensá-lo, dia por dia. Se o período começar durante o jejum, este deverá ser repetido.

Convidando os Não Muçulmanos 

Planejemos convidar alguns não muçulmanos ou alguns colegas para o iftar e por ocasião do eid. Isso ajudará a formar uma ponte sobre a lacuna de informatividade que existe entre muçulmanos e não muçulmanos. Estaremos ainda cumprindo a sunnah do Profeta acerca de sermos benevolentes com o nosso próximo. Os ajuntamentos informais e o prosear irão desenvolver um crédito e respeito mútuos. Narrado por Abu Huraira: “O Mensageiro de Deus disse: Quando o mês de Ramadan começa, os portões do céu se abrem; os portões do inferno se fecham, e o Satanás permanece acorrentado.'” 

Repartindo as Benesses do Mês de Ramadan

O Profeta Muhammad ﷺ pedia aos muçulmanos que convidassem outros muçulmanos para o iftár: “Isso se tornará uma fonte de perdão para os pecados de alguém, sendo que receberá tanta recompensa quanto à da pessoa que estiver jejuando.”

Planejemos isso como planejamos tudo o mais na nossa vida cotidiana. Os convidados são uma bênção de Deus e uma fonte de bênçãos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here